terça-feira, 19 de agosto de 2008

Wall of fame...

COM MÚSICA



Quando eramos miúdas, uma amiga da minha irmã costumava dizer que odiava a ideia de chegar a adulta sem se ter tornado uma “pessoa conhecida”… considerava o anonimato uma espécie de falhanço social.
Era uma ideia que me dava arrepios visto que sempre pensei exactamente o contrário…
O meu pai costumava dizer no gozo “sim, sim… é muito conhecido… em casa dele…”. Foi o que sempre aspirei a ser, muito conhecida em minha casa.
Se a ideia de ser atriz, por exemplo, em tempos me atraiu como a qualquer outra pita, a assombração da “celebridade” rapidamente a afastou. Simplesmente não gosto de ser conhecida por quem não conheço!
A primeira sensação do género que tive foi com este blog… Aquela angústia de não saber quem me estava a ler… Com o tempo fui-me habituando… afinal de contas só cá vem quem estiver interessado na porcaria que para aqui escrevo… e… não me levem a mal mas, vocês são meia dúzia de gatos pingados, não assustam ninguém… lol
Agora bem que me lixei…
Não podendo própriamente considerar-me uma celebridade (lol) a realidade è que perdi recentemente o tão prezado anonimato.
Neste monstro que criei, que é o site do Liceu Francês, sou “conhecida” por mais de mil e quinhentas pessoas (and going up…) das quais não conheço nem um cagagésimo…
Vi-me pertantes obrigada a tentar perceber porque é que isto me incomodava tanto, por forma a que deixasse de acontecer, dado que é tarde demais para descalçar a bota… 1.500 indibiduos já é bués da people.
Cheguei então à conclusão de que era tudo uma questão de CONTROLE… é verdade… controle…
Sou uma “control freak”… (uma das incontáveis ervas daninhas no meu jardim…) como tal fico completamente ás aranhas com a ideia de não controlar mínimamente a ideia que os outros fazem de mim.
Patético, eu sei… mas não tanto como já estão praí a pensar! Grunf!

Como tentei exemplificar na minha triste amostra de livro (continuo a achar que a ideia era boa… a autora é que deixa muito a desejar) consoante a pessoa com quem estamos a lidar, falamos de maneira diferente, abordamos assuntos diferentes, partilhamos coisas diferentes… o nosso relacionamento com as pessoas é normalmente personalizado.
Para além disso costuma ser bilateral… acção/reacção, estão a ver a ideia…
Quando nos tornamos “pessoas conhecidas”, esqueçam… os outros pegam naquilo que acham que somos e fazem com isso o que bem entenderem.
Tanto nos podem colocar num totalmente imerecido pedestal como atirar-nos para a lama e cuspir-nos no olho sem que tenhamos uma palavra a dizer…
E, como dizia o outro senhor, “não gosto, chateia-me…” lol
Não sei se alguma vez jogaram ao “telephone arabe”? Conta-se uma história à orelha de alguém, que a conta ao seguinte, que a volta a contar e o último conta-a em voz alta… em geral esta versão já não tem nada a ver com a inícial…
Assim acontece com as “pessoas conhecidas”, o que pensam sobre nós pouco ou nada tem a ver com a realidade. Toda a gente caga sentença mas poucos nos conhecem de facto.
Cheguei então finalmente à conclusão de que isso não tem grande importância… He, he… estão a ver, problema ultrapassado. ;)
O que as pessoas que não nos conhecem pensam de nós é lá com elas, quer seja “bem”, quer seja “mal”… simplesmente não há grande coisa a fazer.
O que é realmente importante é que saibamos quem somos, o que somos e sobretudo o que não somos… que sejamos coherentes, honestos e transparentes…
E a realidade é que isto é tão válido para os conhecidos como para os desconhecidos.
Pronto Dr. acabou a minha hora… vou pagar a consulta à recepcionista… lolololololololol


16 comentários:

  1. O que as pessoas que não nos conhecem pensam de nós é lá com elas, quer seja “bem”, quer seja “mal”… simplesmente não há grande coisa a fazer."

    E o que pensam as pessoas que te conhecem? Fará mal?

    ;)

    ResponderEliminar
  2. Pois... não sei... but who cares...

    ResponderEliminar
  3. Amiga,

    também sou Capricórnio (embora Cavalo) e talvez por isso reveja
    aqui muita coisa que sempre me disse muito...

    A vida tem-me dado de vez em quando luzes (passe o cliché mas é
    assim que o sinto), como faróis (um livro, um filme, uma
    notícia, o que uma pessoa disse, ironias da vida como descobrir
    que estamos a ser/fazer aquilo que criticamos - efeito "Espelho
    da Verdade", um outro flash qualquer, etc), que a partir daí me mostram o caminho doutra forma e me fazem... avançar?

    Recentemente/há muito tempo, um desses "faróis" foi uma coluna
    (event.política) qualquer numa revista ou jornal qualquer em
    que alguém criticava o Guterres (põe aqui outro nome qualquer,
    não é isso que está em causa) por ter a INFANTILIDADE de querer
    agradar a todos, sendo isso impossível. Zás! Flash! Nunca tinha
    pensado nisso dessa forma... Primeiro estranhei ("não, mas É
    possível agradar a todos, e eu QUERO fazê-lo!") mas ao longo do
    tempo entranhou-se...
    Outro candeeiro, mais à frente, noutra curva: Bruce Almighty
    http://www.imdb.com/title/tt0315327/ : nem Deus consegue agradar a todos! Foi cá um... alívio!

    Olhando para trás pelo retrovisor, isso faz-me lembrar outro
    tempo, Amigos de Alex http://us.imdb.com/title/tt0085244/, sobretudo e sempre com o mesmo nó na garganta o refrão de
    Jagger:"You can't always get...".

    Dois outros flashes brutais:
    No mesmo dia, uma pessoa que não via há algum tempo:
    "Barriguinha, hein? Tens de fazer exercício..." e logo a
    seguir, outra, "Tás tão magro, o que é que te aconteceu ?"
    E, ao mostrar o meu primeiro álbum de fotos com uma máquina
    reflex, sou criticado simultaneamente por dois colegas de trabalho, um (economista materialista), porque as fotos não estavam centradas; o outro (cuja "mulher era fotógrafa"), porque estavam.

    Os grupos de férias: num grupo num bar não tou a dar uma prá caixa ("Este tá sempre tão caladinho..."), viro a esquina e para outros amigos/conhecidos já sou "o Máior, um ganda maluco" de quem recordam com gargalhadas e admiração as "aventuras".

    Outro flash mais recente: alguém que me diz "eu não vou ver a
    Madonna, é uma velha". Porra (goste-se ou não se goste), um talento do caraças, e uma vida de
    disciplina, de aperfeiçoamento, de trabalho, a música, a
    coreografia, a preparação, e o efeito que fica é só este...
    Anedotas sobre a Madre Teresa...
    Um atleta que é um herói e a seguir já não é...
    Na estrada, todos os condutores são camelos, bestas...mas, provavelmente são cirurgiões, músicos, mentes brilhantes... Pés de chumbo! (mas se calhar é o Ronaldo a levar a mãe ao hospital...)
    O verdadeiro flash... é que não é só contigo, todos os teus
    maiores receios de que te chamem aquilo que não queres (e que
    até pode ir variando ao longo da vida... magro, fraco, feio,
    medricas, atinadinho, intelectual, fayot, antipático, fechado, feio, arrogante, prepotente, branquinho, feio, beto, caixa de óculos, demasiado inteligente, feio, conservador, materialista, insensível, picuinhas, nerd dos computadores, despassarado, feio,
    mariquinhas, machista, cabeça no ar, vadio, feio, bonito mas sem cabeça, musculado mas burro, careta, bêbado,
    drogado, irresponsável, parasita, guedelhudo, maníaco da moda, fora de onda, feio, avarento, esbanjador, vê novelas,
    desengonçado, maluco, preguiçoso, estúpido, feio, workaholic,
    maníaco, infiel, mau, bruto, bonzinho, obcecado, gordo, feio, cota, gágá, ultrapassado, tótó que não sabe mexer num computador, desafinado, ridículo, mal-cheiroso, falhado, desactualizado, feio, careca, velho, o que achares mais brutal e "grave"...), isso pode acontecer com o mais perfeito ser que julgues existir, com a
    celebridade/personalidade que mais admiras, e às vezes até pode ser verdade, mas o melhor é (já
    descobrimos e é fácil dizê-lo) que eles se estejam bem a cagar
    para isso :)

    Retrovisor panorâmico: vejo todas as minhas caras (quase todas
    queriam só agradar) e um outro flash: os olhos (e as orelhas
    lol) são sempre os mesmos! O flash não é isso: o flash é que é
    assim que vejo os outros (nem sempre quis ver), são só os olhos
    (ou "L'essentiel..." de StExupéry) e f...-se as aparências!

    Parabéns pelos teus olhos e pelo que vês!

    E... já agora... vê se sabes quem sou ;)

    ResponderEliminar
  4. Hum... "... magro, fraco, feio,
    medricas, atinadinho, intelectual, fayot, antipático, fechado, feio, arrogante, prepotente, branquinho, feio, beto, caixa de óculos, demasiado inteligente, feio, conservador, materialista, insensível, picuinhas, nerd dos computadores, despassarado, feio,
    mariquinhas, machista, cabeça no ar, vadio, feio, bonito mas sem cabeça, musculado mas burro, careta, bêbado,
    drogado, irresponsável, parasita, guedelhudo, maníaco da moda, fora de onda, feio, avarento, esbanjador, vê novelas,
    desengonçado, maluco, preguiçoso, estúpido, feio, workaholic,
    maníaco, infiel, mau, bruto, bonzinho, obcecado, gordo, feio, cota, gágá, ultrapassado, tótó que não sabe mexer num computador, desafinado, ridículo, mal-cheiroso, falhado, desactualizado, feio, careca, velho..." ??? e a chamar-me amiga?! Não estou a ver...
    lololololololololololol

    ResponderEliminar
  5. If you're remarkable, then it's likely that some people won't
    like you. That's part of the definition of remarkable.
    Nobody gets unanimous praise — ever. The best the timid
    can hope for is to be unnoticed. Criticism comes to those
    who stand out.

    ResponderEliminar
  6. O Seth Godin é careca! ;)

    Anónimo...3

    ResponderEliminar
  7. Pois o que eu acho é que, mais famosa ou menos famosa, já autografaste muitas almas, mesmo sem dares conta e inclusivé (fica sempre bem escrever isto) na era pré-site. Quanto ao resto... Namasté K, sobretudo K!

    ResponderEliminar
  8. Artur, acreditas que do alto da minha pequena dislexia primeiro li "já agrafaste muitas almas"... lolololol E eu a pensar, que raio quer ele dizer??? lolololol
    Gostei (mesmo) de te conhecer. Se quiseres um autografo... ;)
    Namasté K!!!

    PS: Agora tenho de ir investigar quem é o Seth Godin... Para poder comentar os outros com conhecimento de causa... Será um pseudónimo do Bicudo? lol

    ResponderEliminar
  9. Hum... é de facto careca... lol
    E a sua identidade traz-me julgo eu umas luzes sobre a do comentador anónimo... talvez viva em Montemor... ;)

    ResponderEliminar
  10. Cold as Ice! (says Seth)

    Anónimo...4 (ninguém sabe se fui eu quem falou das outras 3 vezes ;) - digo eu disfarçando a voz... lol)

    ResponderEliminar
  11. Hum... tá bem, tá bem... disfarça lá a voz e mantém o anonimato... caguinchas!

    ResponderEliminar
  12. Caguinchas? ah ah ah, não me interessa o que pensam de mim, não me interessa o que pensam de mim, nha nha nha nha, não se pode agradar a todos, nha nha nha :P

    PS: não sou o anónimo que falou há bocado... (tosse)

    ResponderEliminar
  13. Eu até te chamava outras coisas... mas não posso, não seria politicamente correcto... e agora que sou uma celebridade tenho de ter cuidado com a língua...
    hehehehehehehehehehehe

    ResponderEliminar
  14. Cristina,
    faço parte da "Grande Maioria" do LFCL que te conhece para além do cagagésimo que tu conheces.
    Pois que o que os outros pensam de nós... depende de vários factores mas raramente daquilo que somos de facto; vai daí... que se lixe.
    Mas uma coisa é obvia: essa tua cabecinha é de primeirissima qualidade e, o uso público que lhe dás, muito agradável.
    És uma mulher "de força", do lado bom da força. Fixe!
    May the force be with you

    ResponderEliminar
  15. Chiça... isto é aquilo a que chamo um elogio... e de primeira categoria. lol ; )

    ResponderEliminar