segunda-feira, 29 de outubro de 2007

O Clic

Neste post não vou defender qualquer teoria (idiota, como de costume... LOL) sobre a felicidade.
Vou simplesmente partilhar uma coisa que me passou pela cabeça no outro dia mas que não consigo explicar...

Os Clics...




He, He, He, He, He...
Brincadeirinha... ; )
Os "Clics" do Manara?!
Não queriam mais nada seus porcalhões... LOL

Ai cruzes canhoto que se uma das minhas tias cá vem ainda me acusa de manter um site pornô...


LOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOL



Bem, basta de parvoeira...
Aquilo de que me dei conta no outro dia é que por muito que pensemos nas coisas, por muito que analisemos e que cheguemos a conclusões... estas só acontecem quando se dá um Clic e esse clic é tudo menos racional.
Notem que isto não invalida de forma alguma aquilo que defendo, que é no fundo que usemos a nossa cabecinha de forma útil.
Não quer dizer que não valha a pena pensarmos visto que a decisão final não vai de qualquer maneira ser racional. Acho muito educativo (LOL) pensar-se nas coisas e acho que pesa muito na decisão emocional.
Mas o timing pelo menos (já sem falar da decisão própriamente dita, que só isso dava para um post) acho que é emocional... qualquer coisa acciona o mecanismo e pimba, tomamos as decisões.

O deixar de fumar, por exemplo... As pessoas sabem muito bem que fumar faz mal... que incomoda os outros... que sai caro... têm mil e uma razões para deixar de fumar. Muitas estão mesmo decididas a fazê-lo "um dia". Mas quando isso acontece de facto deve-se a um clic, um dia diz-se acabou e para-se. Pode-se andar a pensar no assunto há anos... qualquer coisa acontece e simplesmente decidi-mo-nos finalmente.

Ou o acabar de uma relação... quantos casos não conhecemos de pessoas que "aguentam" más relações durante anos e um dia mandam tudo para o galheiro sem que se perceba o que é que mudou.

Eu por exemplo andei anos a dizer que não havia de morrer sem me mudar para a zona de Cascais. As condições em que de facto o fiz (económicas, etc...) não eram diferentes das que vivia há muito tempo... então porquê nesse momento?
"O meu filho não entrou no Liceu Francês então vou-me mudar para Cascais, pronto..." e quatro meses depois cá estava eu??!! Há de convir que a "desculpa" é fraquinha... deu-se um Clic e pronto... é agora.

O largar um emprego... é a mesma coisa...
Escrevi um post sobre esse tipo de questões que nos pomos, acabei de ler que já nele falava em clics... Falo em red alerts, em sinais de que as coisas não estão bem. Podemos fazer este exercício mental, esta observação da situação, esta análise e chegar há conclusão de que estamos numa situação de ruptura. Mas só iremos de facto falar com "o chefe" quando se der o tal de Clic.

Nem sempre a razão do Clic é identificável, e sobretudo, mesmo quando identificada, não é obrigatoriamente mais "válida" do que outras que se calhar já tivemos antes.
Aparentemente é simplesmente assim... o nosso "biological clock" parece preparado para a mudança e então mudamos... Estranho não?!






PS: Aposto que tinham preferido outro Manarazinho para rematar...









7 comentários:

  1. «Only the wisest and stupidest of men never change»
    - Confucius

    ResponderEliminar
  2. Penso que há dois géneros de "clics".

    Num primeiro caso, há um clic emocional, que leva a uma certa decisão que fica latente enquanto vamos arranjando argumentos racionais para a defender e um dia, quando temos a decisão "amadurecida", dá-se um segundo "clic", que é um "clic" de confirmação.

    No segundo caso, uma situação pode-se ir modificando ou degradando, até que qualquer pequena coisa que aconteça leve à rotura súbita. Este é um "clic" do tipo "gota que faz transbordar o copo".

    ResponderEliminar
  3. Jorge Rocha - Ghunterdomingo, 04 novembro, 2007

    Só mesmo tu para pores no mesmo patamar a hipotética entrada do Pedrinho no Liceu Francês com a mudança para Cascais, ou com o facto de deixares de fumar...

    São tudo "clic´s" que estão a anos luz uns dos outros, e que se medem em escalas totalmente opostas e que interferem na nossa vida de uma forma singular, mexendo mais ou menos com a nossa saúde, dia-a-dia, hábitos, etc.

    ResponderEliminar
  4. Caro primo, não consigo entender o seu comentário...

    "...anos luz uns dos outros..."?
    Não estou a perceber qual é que para ti é assim tão importante ou por oposição, tão pouco importante...
    Troca lá isso por miúdos...

    De qualquer maneira, independentemente da importância dos Clics nada do que dizes invalida a existência dos mesmos.

    ResponderEliminar
  5. Priminha,

    Então é assim... para ver se me explico num Português mais acessível a essa mente, umas vezes tão prespicaz e viperina, outras vezes carregada de um sentimento de trafulhice que até eu fico congestionado...

    Pegando na moda actual de dividir em patamares tudo o que são os factos que nos rodeiam, sem ter obrigatoriamente que abanar para cá e para lá a mãozinha, como faz o autor de tal divisão, tu consegues nivelar os acontecimentos, interiorizando a sua importância e não é isso que ponho em causa, já que cada um terá a que merece para ti.

    O que eu quis dizer, e acho que foi isso que não entendeste, foi que puseste nos mesmos pratos da balança assuntos que eu não teria comparado, nem na qualidade, nem na especificidade. That´s all

    ResponderEliminar
  6. Quanto ao resto afinal acho que tinha de facto percebido à primeira, mas...
    Continuo é sem perceber anyway o quê que para ti está em patamares assim tão diferentes... tipo deixar de fumar e mudar para Sintra?
    Olha que até acho que são coisas muito parecidas no que diz respeito ao nosso bem estar...

    De qualquer maneira há Clics "pequeninos" e Clics "grandes", sem dúvida, por raio é que não havia de poder misturar os dois na mesma conversa?

    "...umas vezes tão prespicaz e viperina, outras vezes carregada de um sentimento de trafulhice..."
    LOLOLOLOLOLOLOL
    Esta tb me hás de explicar... LOL

    ResponderEliminar