terça-feira, 27 de setembro de 2011

O efeito boomerang

COM MÚSICA



As relações humanas são como um grande feira de trocas...  trocamos olhares, sorrisos, palavras, palavras por sorrisos, sorrisos por olhares.
Até que ás tantas, neste mercado dos relacionamentos, acabamos por ter um rating, umas estrelas, tal como os vendedores do Ebay.

Aqui ouve-se um estridente barulho de agulha a arranhar o disco vinil...
Vá, vá, confessem lá que, quando comecei a falar em mercados, imaginaram uma qualquer cena bucólica... cambada de românticos. lol

O  elevado número de estrelas de um “comerciante”, atribuídas pelos próprios “clientes”, inspirar-nos-á confiança na transacção. 
Assim se vai criando, aos poucos, uma reputação, um bom ou mau nome, que se cola ao individuo, através da experiência dos outros.

Nas relações, passa-se a mesma coisa.
Se respondermos a um sorriso com um olhar carrancudo, a pessoa em questão sentir-se-á compreensivelmente lesada com a troca. Provavelmente, da próxima vez que a encontrarmos, será a primeira a oferecer a cara feia no negócio.

Ou seja, nós recebemos aquilo que damos.
Se oferecermos “produtos” de baixa qualidade, ou mesmo estragados, poderemos "enganar alguns por muito tempo, todos por algum tempo, mas não podemos enganar todos para sempre".
Se pelo contrário oferecermos coisas que façam feliz quem as recebeu, a tendência será, não só de receber de volta coisinhas boas e agradáveis, como de também ganhar boa reputação.

Todos gostamos de ser acarinhados, mimados, apreciados,  valorizados. Não interessa se pela nossa cara metade ou pela menina do supermercado.
Uma vida feita de atritos, conflitos, agressões, confrontos, não interessa a ninguém.
Só de nós depende que assim não seja.

A probabilidade da vida nos correr mal, se efectivamente formos “comerciantes” honestos e oferecermos produtos atractivos e de boa qualidade, é muito fraca.
As pessoas à nossa volta tenderão a pagar-nos na mesma moeda.
Se tivermos mau carácter e não inspirarmos confiança, ninguém quererá fazer negócio connosco.
Podemos também ser Xicos Espertos, tentar vender gato por lebre. No entanto, mais tarde ou mais cedo, a “verdade vem ao de cima” e não conseguimos manter o papel.

Sejam simpáticos. Sorriam, sorriam a quem conhecem e a quem não conhecem. Digam bom dia, boa tarde, boa noite, se faz favor e muito obrigado. Riam, digam piadas, sejam bem dispostos. Façam surpresas agradáveis, ofereçam prendas, oiçam, falem. Compreendam e serão compreendidos, Sejam tolerantes e aceitar-vos-ão os vossos defeitos. Ajudem e serão ajudados, apoiem, serão apoiados.

Enfim... you got the picture...
O ambiente humano que nos rodeia, depende de nós e só de nós, do que temos para oferecer.
Se oferecermos merda, não esperemos rosas em troca. ;)

1 comentário:

  1. Quando cai a máscara, é mesmo isso que acontece. Beijinho

    ResponderEliminar