domingo, 30 de dezembro de 2007

Ter um filho fez de mim uma pessoa melhor

Dizem que os filhos vêem ao mundo para nos ensinar, no meu caso é uma grande verdade... e o que me saiu na rifa vem bem artilhado para o fazer ; )

Tenho-me sentido melhor comigo própria nos últimos anos e o convívio com os outros tem-se tornado cada vez mais fácil, mais agradável.
De repente dei-me conta de que ando a treinar há anos, a treinar com o meu filho, a descobrir receitas, a limar arestas, a chegar a conclusões...
No fundo, sem sequer me dar conta, tenho andado a frequentar um curso intensivo de "conheça-se a si própria e aprenda a viver consigo e com os outros".

O amor incomensurável que sinto por ele leva-me a fazer esforços que nunca me tinha dado ao trabalho de fazer por mais ninguém.
A consciência de estar perante um ser em formação, para quem o meu exemplo vai ser crucial, tem-me feito encarar as minhas atitudes e acções com mais seriedade.
O seu crescimento trouxe-me a consciência de que cada dia é um dia, com as suas características, limitações e vantagens.
A sua felicidade, sim porque o meu filho também é uma pessoa obviamente feliz (embora ainda não tenha votado no meu inquérito... LOL), levou-me a perceber que é uma coisa simples, nós é que complicamos...

Com ele tenho aprendido a tentar arranjar outras maneiras de explicar as coisas, quando a inicial não estava a resultar, em vez de me irritar com o interlocutor por não me estar a compreender.

Tenho aprendido a manter a calma, a não me enervar com ninharias, a não me saltar tanto a tampa, a não dar importância ao que "tem remédio".

Tenho aprendido que o sentimento que temos por uma pessoa é sempre igual, mesmo quando estamos "piúrços" com ela. Que apesar de ás vezes até apregoarmos o contrário os sentimentos não andam para cima e para baixo como os interruptores. Quando se gosta, gosta-se, apesar de podermos ter vontade de atirar o outro pela janela. Uma crise não põe tudo em questão...

Tenho aprendido que não é justo tentarmos impor a nossa vontade só "porque sim", que deve haver uma razão para as coisas. Não é obrigatório que a partilhemos mas convém que exista e que esteja para além do nosso egoísmo natural. Se vamos exigir ou proibir alguma coisa a outra pessoa é bom que seja por uma razão válida.

Tenho aprendido que com força de vontade se consegue tudo. Que se uma criança consegue largar a chucha ou deixar de roer as unhas eu só posso mesmo deixar de fumar. Que o "não consigo" é na realidade uma desculpa para "não estou para me dar ao trabalho".

Tenho aprendido a perceber que cada versão de um mesmo acontecimento pode ser absolutamente verdadeira para cada um dos envolvidos. Que cada pessoa vê os eventos do seu ponto de vista e que este pode ser muito diferente de indivíduo para indivíduo. Que o que dizemos pode ser interpretado de mil e uma maneiras e que nem sempre conseguimos transmitir o que queríamos embora estejamos convencidos de que o fizemos.

Tenho aprendido que se aprende muito a observar os outros. Que não aprendemos só quando estamos a "ser ensinados". Que o exemplo dos outros é uma escola das mais evoluidas e que podemos ganhar muito tempo se aprendermos as coisas sem ter obrigatoriamente de passar por elas.

Tenho aprendido que não se deve passar a vida a correr, que se deve viver com calma, que tudo corre mal quando temos pressa. Que o stress só serve para que façamos tudo ao contrário, que digamos o que não queríamos, que nos enervemos com quem está mais próximo. Que mais vale acordar mais cedo e levantar-se com calma do que dormir mais uns minutos. Que quando as coisas são feitas a correr não são apreciadas. Que cada momento da nossa vida é único e não deve por isso ser menosprezado.

Tenho aprendido a não me "pré-ocupar"... a pegar nos assuntos em mãos se for caso disso, dar o meu melhor e depois logo se vê. Tenho ganho a noção de que ainda vou ter de passar por muitos sustos, muitas angústias, muitas situações complicadas, que é a ordem natural das coisas e que o facto de me preocupar com elas não vai evitar que aconteçam. Há portanto que lidar com os assuntos conforme vão acontecendo.

Tenho aprendido que ás vezes devemos pensar nos outros antes de pensarmos em nós próprios. Que sabe bem uma certa dose de "sacrifício", que compensa largamente "sermos pelos outros", que a devoção a outro ser humano nos aquece por dentro. Que é bom sentirmos que estamos a ajudar, a apoiar, a acarinhar alguém, mesmo que essa pessoa não dê o devido valor ao que estamos a fazer por ela.

Tenho aprendido que não devemos fazer as coisas de uma certa maneira só porque sempre foi assim. Que as tradições são importantes se fizerem sentido. Que a maneira que os nossos pais tiveram de nos educar deve ser seguida se acharmos que resultou. Que se o mundo muda nós também temos de mudar, de nos adaptar aos tempos que correm, em todos os sentidos.

Tenho aprendido que somos capazes de muito mais força, de muito mais proezas do que julgamos. Que estamos sempre em idade de aprender, de estudar, de praticar. Que tanto física, intelectual ou emocionalmente somos sempre muito mais fortes do que julgávamos e que para nos darmos conta disso basta tentarmos, termos a coragem de tentar.

Tenho aprendido que todos os dias são um desafio, que todos os dias aprendemos qualquer coisa, que todos os dias ficamos mais ricos com a experiência da vida. Que não interessa que tenhamos cinco anos ou quarenta e dois, estamos sempre em mutação, em constante evolução.

Tenho aprendido que amar alguém não é fazer-lhe as vontades todas. Que ás vezes a atitude certa a tomar nos vai fazer doer o coração. Que ás vezes os castigos que aplicamos aos outros acabam por nos doer mais a nós.

Tenho aprendido que com diálogo tudo se resolve e que é importante dar a entender aos outros o que pensamos e sentimos e tentar perceber o que pensam e sentem. Que ninguém consegue ler a mente alheia, por muita empatia que haja entre as pessoas, por muito bem que se conheçam. Que os mal entendidos podem ser duríssimos, difíceis de ultrapassar. Que é importante pedir desculpa quando achamos que errámos. Que é importante exigir respeito e consideração da parte dos outros e tê-los por eles.

Tenho aprendido que ás vezes não sabemos o que é melhor para nós. Que a "pica" do momento pode toldar a nossa razão. Que ás vezes em prol de um prazer imediato acabamos por abdicar de outro maior. Que ás vezes quem está de fora vê melhor o cenário do que nós, que é importante ganhar recuo em relação à vida.

Tenho aprendido que ás vezes basta um elemento estar desequilibrado para todo o grupo sofrer emocionalmente. Que o mau humor, o mau feitio podem lançar o mau estar à nossa volta. Que se não nos controlarmos, se dermos rédea solta aos nossos moods podemos criar uma reacção em cadeia em que toda a gente se sente mal e já ninguém sabe porquê.

Tenho aprendido que é bom tornar os outros felizes. Que é bom ter como objectivo na vida a felicidade alheia para além da nossa própria. Que esta não dependendo de nós, visto que cada um faz a sua, a realidade é que podemos contribuir largamente para ela.

Tenho aprendido a ver a vida de uma maneira simples. Que as coisas não são complicadas, nós é que temos tendência a complica-las. Que apesar de tudo continuamos a ser bichos, se estivermos em paz tudo corre sempre bem. Não vale a pena estar sempre à procura de sarna para nos coçarmos.

Mais importante que tudo, tenho aprendido a viver hoje, como se não houvesse amanhã, a não desperdiçar tempo para me transformar numa pessoa decente e não deixar para amanhã o que posso ser e tornar feliz hoje.

Ainda não tenho a escola toda, ainda tenho muito que estudar, praticar, fazer trabalhos de casa... mas pelo menos já me dei conta de que estou inscrita.





Obrigada Pedro... ;)



You Are My Sunshine.mp3 -

6 comentários:

  1. "How is it that little children are so intelligent and men so stupid?
    It must be education that does it."
    - Alexandre Dumas

    O teu filho já pensou em escrever um blog?
    Porque se ensinou tanta coisa à mãe, deve ser o Verdadeiro Guru.

    E se ele escrever um blog, a malta prefere beber a sabedoria directamente da fonte, sem intermediários.

    Falando agora de coisas sérias: que tenham um 2008 à medida do que merecem...

    ResponderEliminar
  2. Já te tinha dito: bonito "post", mamã.

    E quando é que vamos pôr em prática essa aprendizagem toda sem ser com o garoto, hein?

    LOL ;-)

    ResponderEliminar
  3. Priminha,

    Só para te dizer que criei um Blog chamado palavras soltas - como ghunter, e n sei como linká-lo ao teu....

    Kisses

    Jorge

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passada lá no meu site, que é sobre o CresceNet, espero que goste. O endereço dele é http://www.provedorcrescenet.com . Um abraço.

    ResponderEliminar
  5. Obrigado Cristina e Zé!

    ... por terem feito o Pedro...

    ResponderEliminar